Horta Vermelha

  • Nomes pintados

    As placas de madeira com o nome do sítio, das casas e da recepção/sala de reuniões, foram-nos dadas. Até então, estas madeiras já tinham estado à chuva, sem nenhum uso. Pensámos noutros materiais, mas este foi o melhor.

  • No processo

    A velha e pesada porta, a caminho de ser pendurada. O novo colchão tipo árabe tinha chegado. Assim como as almofadas coloridas.

  • E antes...

    Isto foi uma fase numa das salas de estar. Vazia. O aspirador era a mobília! Sem cores. Limpeza a fundo. O tecto do tipo tenda estava a caminho de ser instalado e testado pela primeira vez. Vê as cordas nos lados?

  • Há algum tempo
    atrás

    A cozinha da Casa Sobreira ainda não tinha levado a pintura vermelha. Quase não tinha mobília e boa iluminação. Vêem-se algumas das nossas roupas e luvas de trabalho. As prateleiras de madeira debaixo do lavatório já estavam postas.

  • Outra cozinha

    Isto é outra fase na cozinha da Casa Lódão. As únicas cores eram das belas cadeiras e da mesa. Tubos e restos de madeiras. Sem cortinas. Ainda sem azul anil na parede da esquerda. Sem iluminação.

  • Sala de reuniões

    Isto era a nossa base para pintar mobília, sem humidade e sujidade. A salamandra recuperada ainda não tinha sido pintada, nesta altura. Os sofás velhos foram depois recuperados e foram feitas novas cobertas. Não havia sítio para o computador, rede e coisas da rede WIFI. Sem as ventoinhas silenciosas, também. Sem cadeiras e sem mesas…uff.

  • Curvas

    Esta é a nossa parede menos direita e provavelmente a parede mais antiga e grossa. É pintada com cal e bem mantida. Tem uma espessura próxima de 1 metro. Este é também um dos quartos mais antigos das casas.

  • A porta antiga

    Isto é um canto da velha e pesada porta da entrada. Tinha que ser vermelha! Está agora pendurada numa parede de uma das salas, num local privilegiado. Está pendurada com segurança. Sem preocupações!

  • Esquinas
    arredondadas

    Isto é um cantinho da cozinha da Casa Lódão. As esquinas não são afiadas. Provavelmente nunca o foram. Há muitas camadas de tinta e muita erosão. Tivemos alguns problemas ao pintá-las de azul.

  • Ferrolho antigo

    Isto é um detalhe de um velho portão que está colocado no exterior, como decoração. A sua madeira foi tratada e protegida, para a manter. Ferro, madeira e muitas camadas de tinta.

  • Camadas de tinta

    In many walls and corners, we frequently discover new colours under many layers of whitewash. It shows us that, in other times, the houses were also very colourful. The whitewash keeps past colours untouched.

  • Transformado em
    novo

    This is an example of a bedside table, in one of the rooms. It was found by us and saved from dump storage. We have sanded it and painted it, turning it into a new, beautiful piece.

  • Nova vida

    In all of the rooms, we have added creative hangers. These are made from more than 30-year old vines. Their wood has been treated, sanded and varnished, as if continuing their long lasting life.

  • Azul anil

    This is one of the original pigments used in the region. This is the ceiling of the WC at Lódão Cottage. It's light is wonderfully relaxing. Lots of patience, though, to make it right.

  • Novos usos

    The pink puff filling is an adaptation from an old wool mattress. Its future was very uncertain before. The table top has come from an unused door. It was cut in two parts, giving us two tables, for each living room.

Recuperar & Reutilizar

A nossa filosofia foi a de reutilizar, restaurar e recuperar coisas das próprias casas e de outros lugares, como muitas portas, cadeiras e mesas. Muitos materiais de madeira levaram uma pintura, com verniz ou cera, para ter as coisas completamente integradas no ambiente orgânico e personalizado do lugar.

Também nós mesmos construímos coisas, como os candeeiros de baixo consumo das cozinhas, salas e quartos.

Isto implicou tempo e esforço para fazer as coisas tal como elas são agora, produzindo o mínimo de desperdício e o máximo de conforto para os nossos hóspedes.

Com este espírito, dentro das casas mantivemos a cal tradicional, pelas suas boas propriedades na manutenção das antigas paredes de adobe.

Para o azul anil e o vermelho de óxido de ferro, usámos os pigmentos que têm sido usados há tempos, misturados com a cal.

Os tectos são de traves e madres de madeira, com tabuinha, ou de tijolos de terracota. Também para os chãos, mantivemos os velhos materiais e pedra onde nos foi possível.

Tudo isto se reúne em cor, charme e atmosfera, em harmonia com um toque orgânico. Detalhes modernos, discretos e bem integrados, foram adicionados para garantir eficiência térmica e conforto.

O grande sentimento é o de singularidade, história e personalidade. E agora também pode fazer parte desta nova história e destas antigas casas.

Mostramos-lhe algumas fotografias destas partes particulares das casas e também dum pouco do trabalho na sua preparação. Sabemos que, mais frequentemente, estes momentos de trabalho árduo e de sujidade não são mostrados. Mas estes também fizeram parte desta nova história do espaço. Houve momentos muito bons, mas também momentos duros, com muitas surpresas pelo caminho.